Telefone
(62) 99913-8377
E-mail
minimaoficial@gmail.com
Funcionamento

ATENDIMENTO COM HORA MARCADA

Rota

Rua João de Abreu, 523, Quadra J-9, Lote 16, Setor Oeste, Goiânia - GO, 74120-110

Rua João de Abreu, 523, Quadra J-9, Lote 16, Setor Oeste, Goiânia - GO, 74120-110

ATENDIMENTO COM HORA MARCADA

MAS, AFINAL, O QUE É SLOW FASHION	?
· · · Comentários

MAS, AFINAL, O QUE É SLOW FASHION ?

· · · Comentários
Escrevi uma história imensa para explicar. Passou pelas antigas Maisons, pela Revolução Industrial, pela Era da Informação e pelas atuais infinitas micro-coleções e tendências do mundo da moda. Mas apaguei. Isso o Google explica. O que ele não explica é o que esse movimento significa, realmente, para nós pessoas.
Significa, para uma estilista, não ter que se esgotar tentando criar semanalmente algo completamente diferente e inusitado, nunca visto, maravilhoso, que daqui a uma semana já não tem graça nenhuma. Ou, pior, tendo que copiar incessantemente o que está na mídia para se adequar ao mercado e sobreviver! Significa, para uma costureira (modelista, pilotista, cortadeira, bordadeira, enfim) poder trabalhar horas regulares em condições confortáveis, com um salário que a permita desenvolver sua própria vida, tendo, ainda, contato com o resultado de seu trabalho na vida de suas clientes. Significa, para o cliente, não ser bombardeado constantemente com novidades incessantes, com tendências de minuto e com produtos que não valem o quanto pesam.  

A Mínima é uma marca de Slow Fashion. Por isso, nossas novidades chegam de forma lenta, atendendo às necessidades dos clientes e ao ritmo de uma produção pequena e preciosista. Por isso, focamos na construção de um estilo minimalista e básico, atemporal, que acompanha mais às demandas da vida real do que às tendências. Por isso, produzimos em pequena quantidade, sem grandes desperdícios ou sobras, para evitar que precisemos escoar produtos encalhados estimulando compras por impulso. Por isso, focamos no mínimo. Nos mínimos detalhes, no menor desperdício, no essencial. A moda, enfim, pode deixar de ser uma imposição consumista e voltar a ter o encanto daquilo que nos representa e nos vincula. A gente trabalha por isso.